Por Marcio CS, guitarrista e vocalista da Banda Hipnoia

Já tem um tempo que venho procurando por bandas nacionais recentes para que eu possa ser fã de alguma. Fã de verdade. Sendo bem sincero, apesar de ultimamente eu ter escutado o som de muitas bandas que apareceram em vários cantos do Brasil, poucas me chamaram a atenção. Poucas me fizeram ter vontade de me aprofundar no conhecimento sobre o trabalho, ou de ouvir um CD completo, por exemplo. Não há muitos lugares por aí como, onde você possa conhecer o trabalho de um artista com som de alta qualidade, podendo ler as letras e apreciar toda a concepção visual da banda. Mas agora que existe um lugar assim, fica mais fácil e prazeroso ir atrás de bandas para tentar ser fã. Há muitos artistas e bandas novas, muito trabalho novo para ser ouvido e apreciado, mas qualidade de verdade não se encontra em qualquer lugar, ou a qualquer momento. É preciso dedicar alguns minutos do seu dia para procurar, ou ter a sorte de uma preciosidade cair no seu colo aleatoriamente.

Parece que aconteceu algo assim comigo, quando eu vi há alguns dias no Facebook o post do Zamus falando do mais recente álbum da banda El Efecto, “Pedras e Sonhos”. Há muito tempo que eu não encontrava uma banda nacional que fizesse uma mistura de estilos com tanta competência, ou que tivesse arranjos tão bem trabalhados. O El Efecto me trouxe de volta o prazer de escutar um álbum, curioso para saber o que vou ouvir na próxima música, pois não é possível imaginar o que vem em seguida. Pode ser rock, pop, funk, samba, gospel, metal, cantiga, baião, progressivo, música regional, e até música clássica… o que você imaginar, vai encontrar no trabalho da banda. O El Efecto consegue fazer isso tanto na música quanto no que é cantado. Algumas letras têm um teor crítico, e outras são mais poéticas. Algumas tem belos trabalhos vocais, outras são gritadas, outras sussurradas (“em surround”). É muito improvável que haja alguma outra banda no Brasil com um som sequer parecido com o que o El Efecto consegue produzir em estúdio.

Faz parte da concepção do álbum “Pedras e Sonhos” um conjunto de participações que faz muita diferença no resultado final. São coros, violinos, trompetes, trombones e clarinetes – um conjunto de elementos dificilmente encontrados em outra banda de rock no Brasil atualmente – ok, vamos chamar de “rock” o som que o El Efecto faz. Além disso, chama a atenção o conteúdo crítico de certas letras, como “O Encontro de Lampião com Eike Batista” (o próprio título já diz tudo) e “N’Aghadê” (que fala do poder da TV sobre o povo, e que no fim diz que “a revolução não será televisionada”). Outro destaque são as guitarras distorcidas na “Cantiga de Ninar”, e também a linda canção “Consagração da Primavera”, com tons de música clássica e de bela performance em estúdio, com clarinetes, fagotes, percussão sinfônica, dentre outros elementos que enriquecem ainda mais essa obra-prima. A letra da canção que fecha o álbum, “Os Assaltimbancos”, diz que “se a gente canta em coro, é mais forte o som da nossa voz”. Um outro destaque é a onipresença de vocais divididos e de coros junto aos arranjos muito bem tocados pela banda, fundada em 2002 e composta por Tomás Rosati, Bruno Danton, Eduardo Baker, Pablo Barroso e Gustavo Loureiro. “Pedras e Sonhos” é o 4º. trabalho do El Efecto (são 3 álbuns e um EP no total).

É muito gratificante, depois de muita pesquisa, chegar de encontro a uma banda ao mesmo tempo divertida, original e competente, como o El Efecto. O resultado é fruto de um quinteto talentoso, letras muito bem escritas, parcerias com músicos de qualidade, uma cuidadosa concepção visual, e dedicação de todos os envolvidos a fazer um trabalho final que faça a diferença no atual mercado de música independente nacional. E o trabalho não para por aí: no palco os caras parecem ser simples e diretos ao ponto. Como diz o site deles, “nada de figurino ou cenários elaborados. A mensagem é o meio. Liberdade de composição, um dos princípios. O movimento é o fim.” – E assim que eu puder, pretendo assistir isso tudo ao vivo.  Quer mais um resultado? Ouvi o som da banda e virei fã. Causa e efeito. Ou melhor, “efecto”.

Por Marcio CS, guitarrista e vocalista da Banda Hipnoia

Zamus, Educação e Tecnologia para o Novo Mercado da Música.

FALE CONOSCO

Envie um e-mail para nós e ficaremos felizes em respondê-lo.

ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account